A FATRES 

A Fundação de Apoio à Agricultura Familiar do Semiárido da Bahia (FATRES) é uma entidade civil, sem fins econômicos, de natureza beneficente, considerado de utilidade pública municipal e estadual.

Fundada em 1996, a FATRES nasce do anseio de colocar-se a serviço das populações menos favorecidas, discriminadas de comunidades rurais, as quais viviam e ainda vivem num contexto de violação de direitos e exclusão do exercício da cidadania.

Atualmente, a FATRES desenvolve sua ação através dos seguintes Secretarias: Política Agrícola, Agrária e Meio Ambiente, Formação Política, qualificação profissional e educacional, Políticas Sociais, Políticas para as Mulheres, Políticas para Juventude. O conjunto dessas secretarias, por sua vez, desenvolvem ações de Assistência Técnica e Extensão Rural, conforme o estabelecido pela Lei n° 12.188, de 11 de janeiro de 2010 (Lei de ATER), que institui a Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (PNATER) e estabelece as bases para a execução do Programa Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (PRONATER), buscando contribuir para conquista da cidadania e desenvolvimento das pessoas, dos grupos, de forma especial o protagonismo efetivo dos homens, mulheres e jovens da sociedade civil organizada.

Ao longo dos seus 23 anos de atuação, direcionou sua ação juntamente com os dirigentes, lideranças sindicais rurais, protagonistas sociais e parceiros, incentivou e estimulou a auto-organização dos povos e dos sindicatos, o que motivou o aparecimento de associações comunitárias rurais, maior participação dos sujeitos sociais nos sindicatos, através das quais a população organizada passou a desempenhar e construir sua cidadania e participação efetiva.

Atuando com iniciativas desse cunho a instituição apoiou e apoia trabalhadores e trabalhadoras rurais, agricultores e agricultoras familiares, cooperativas, incentivo a participação dos (as) agricultores (as) familiares com atividade leiteira, grupos de produção, movimentos de mulheres, movimento de jovens, assentados (as) e acampados (as) da Reforma Agrária, definindo enquanto missão:

Contribuir para a construção do desenvolvimento social e ambientalmente sustentável, voltado para a melhoria das condições sociais de vida dos agricultores/as familiares da região semiárida da Bahia, visando a sua permanência na unidade produtiva familiar numa perspectiva de fortalecimento da agricultura familiar.

Norteada pela sua missão, buscou, de um lado, fortalecer diretamente as organizações sindicais (STRs / STRAF), mobilizá-las e articulá-las para fazerem frente às questões sociais atinentes à realidade rural da região (inicialmente seca, os trabalhadores mutilados do sisal, direitos trabalhistas e previdenciários, erradicação do trabalho infantil, acesso à terra, à água de qualidade, dentre outras). De outro lado, articular-se com outros movimentos sociais da região para construção de uma democracia não apenas representativa, mas efetivamente participativa e dialógica, na participação cidadã igualmente justa entre homens e mulheres nos espaços de poder e decisão visando fortalecer todos os aspectos produtivos, sociais, econômicos e ambientais das famílias rurais.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *